Visite Nossa Página no Youtube


Rating: 2.8/5 (44 votos)




ONLINE
3





Partilhe este Site...







Total de visitas: 668064
Sem Mistura!
Sem Mistura!

Gostaria de compartilhar aqui com você um pouquinho do que tenho aprendido na Palavra para de fato ter uma vida sem mistura com o mundo.

Para termos uma vida sem mistura, ou seja, sem jugo desigual, seja profissional, familiar, e tantos outros temos que seguir algumas diretrizes que nos ajudarão a viver de fato conforme a vontade de Deus.

Vamos começar olhando para a chamada de Abraão, em Gênesis 12: 1 a 4, nesse texto, podemos contemplar a chamada de Abraão e sua iniciativa em ouvir a voz de Deus e seguir os conselhos divinos, assim, ele ouviu, e seguiu o caminho proposto por Deus, algo que muitas vezes nos é muito difícil, pois temos que ter coragem e atitude para de fato, termos uma vida segundo os conselhos de Deus e não sofrermos por vivermos misturados com os conselhos do mundo, formando assim um jugo desigual. Então aqui contemplamos que um dos princípios para não vivermos em jugo desigual é obedecer à voz de Deus.

Nesse texto também percebemos que ele sabia o que Deus estava pedindo, pois tomou tudo que precisava para seguir esse caminho. Para nós, fica claro que precisamos ter comunhão com Deus e com aquilo que nós necessitamos, no caso aqui, a oração, a leitura e a meditação da Palavra, e ainda a comunhão com os santos, pois Abraão levou o que lhe era de fato de valor, e agora devo perguntar: O que de fato tem valor para você?

Se continuarmos andando na leitura, chegamos ao versículo 17 e vemos que aqueles que tentam atrapalhar a vida dos santos são punidos pelo Senhor, ainda que os santos tropecem.  Assim ocorreu com faraó um pouco adiante. Mas, outra coisa vemos, nos versículos seguintes, que para a vergonha daqueles que são santos, tudo que ficou oculto é revelado a seu tempo, e assim, Abraão é expulso daquela terra, algo que pode ocorrer conosco, por tentarmos mostrar as pessoas aquilo que não somos, e até muitas vezes, vivermos como eles. Que nunca desejemos comungar com o mundo, mesmo que ele nos atraia, veja que a fome era legítima e Abraão se viu atraído aquele lugar e no fim acabou expulso. Assim sendo muitas coisas que parecem ser legítimas no fundo querem nos afastar da vontade de Deus, e devemos tomar muito cuidado com isso.

Vamos seguir em frente e ver mais alguma coisa na vida agora de Rebecca, a primeira coisa que podemos ver é uma Rebecca servindo, e isso encontramos no mesmo livro de Genesis 24: 15 a 20. Assim podemos tirar de lição que quando estamos ocupados com as coisas que importam não temos tempo para situações que nos levam a distanciar do Senhor e dos irmãos e irmãs que temos em Cristo, que de fato, são nossos verdadeiros familiares. Então devemos procurar servir onde formos chamados e com certeza não teremos tempo de nos envolver com o mundo, pois existem muitas pessoas precisando de água, e se de fato estamos dispostos a dar água da vida às pessoas, teremos uma vida digna entre os santos. Teremos tempo, para tirar água do poço, servir água as pessoas, voltar e tirar água novamente do poço e levarmos aos camelos.  Linda, figura temos aqui, de uma vida empenhada em meditar, orar e compartilhar.

Seguindo em frente vamos até o salmo 1, nos três primeiros versículos e vamos aprender mais algumas coisas.

No primeiro versículo podemos perceber que a vida do cristão, não condiz com nada que o mundo oferece, infelizmente vemos cristãos buscando conselhos com ímpios, um exemplo disso são os psicólogos, na verdade não tenho nada contra a profissão deles, o que digo aqui, é o fato de um cristão, aceitar conselhos de ímpios, e é isso que quero que vocês meditem, será que um cristão tem uma vida tão vazia que precisa ouvir conselhos de ímpios, não digo aqui que um cristão não tem problemas, o que quero recordar é onde buscamos as nossas soluções, e creio que uma comunidade sã, é formada por pessoas que se ouvem, se desabafam, e aprendem uma com as outras.

Outro ponto importante vem a seguir, que é o fato de não perdermos tempo com a vida dos pecadores, para um cristão a vida de um pecador, só deve ser motivo de oração, não devemos analisar e muito menos usa-los como exemplos, pois, nada tem em comum conosco, se é que somos cristãos de verdade, pense comigo, o que vale saber da vida dos ímpios: o que eles fazem, como vivem, lugares que frequentam, ah, na verdade isso é uma indústria, pois tem tudo sobre a vida das pessoas nas revistas especializadas, mas ainda que não vejamos as revistas, devemos também não se importar com a maneira que vive nossos vizinhos ímpios, o que temos que fazer é sempre orar por eles e procurarmos uma oportunidade de falarmos do Senhor Jesus para eles. Assim conheçam o amor de Deus e venham a ser salvos.

Agora vem aquela situação que fala do cotidiano, ou seja, nosso trabalho, nossa escola, nosso convívio pessoal, enfim, a vida comum dos homens, seja com suas piadinhas, com seus pensamentos, seus comentários, seus desejos, enfim sua mente carnal, que leva o homem ao egoísmo natural e sempre a pensar somente em si próprio. Assim, devemos recordar que não é nosso lugar nas rodinhas de ímpios, coisa muito comum nos dias de hoje.

Espero ter colaborado mais uma vez com esse pequeno pensamento a cerca do nosso dia a dia.

Abraços, 

Julio Ometto

"...que te importa? Quanto a ti, segue-me" - João 21:22

O Senhor Jesus tinha acabado de dizer a Pedro que ele viveria até se tornar um idoso e então morreria a morte de um mártir. Pedro imediatamente olhou para João e perguntou em voz alta se João receberia um tratamento melhor. A resposta do Senho foi: "...que te importa? Quanto a ti, segue-me".

Lembrando da atitude de Pedro, Dag Hammarskjold escreveu: "Apesar de tudo, sua amargura, porque os outros estão desfrutando do que lhe foi negado, está sempre pronta para explodir. Na melhor das hipóteses, ela fica dormindo por uns poucos dias ensolarados. Ainda assim, mesmo neste nível indescritivelmente miserável, ela ainda é uma expressão da verdadeira amargura da morte - o fato de que aos outros é permitido continuarem vivendo".

Se levássemos a sério as palavras do Senhor, elas resolveriam muitos problemas entre o povo cristão.

É tão fácil ficarmos ressentidos quando vemos outros prosperarem mais que nós. O Senhor permite que eles tenham uma casa nova, um carro novo, um chalé perto do lago.

Outros, a quem talvez consideremos como menos devotos que nós, têm boa saúde enquanto lutamos contra duas ou três doenças crônicas.

A família ao lado tem filhos lindos que se sobressaem em esportes e no meio acadêmico. Nossos filhos são normais, do tipo mais comum.

Vemos outros crentes fazendo coisas que não temos a liberdade de fazer. Mesmo que essas coisas não sejam pecados, ficamos ressentidos com sua liberdade.

É triste dizer, mas há certa inveja profissional entre obreiros cristãos. Um dos pregadores fica ofendido porque o outro é mais popular, tem mais amigos, fica na luz do holofote. Ou outro fica irritado porque seus colegas usam métodos que ele não aprova.

As palavras do Senhor atingem todas estas atitudes indignas com força surpreendente:"...que te importa? Quanto a ti, segue-me". Como o Senhor lida com outros cristãos realmente não é da nossa conta. Nossa responsabilidade é segui-Lo em qualquer que seja o caminho que Ele escolheu para nós.

Estraído do Devocional Luz Para o Caminho - William MacDonald