Visite Nossa Página no Youtube





ONLINE
1





Partilhe este Site...





Total de visitas: 634670
Alimentando o Inimigo
Alimentando o Inimigo

"Mas a vós, que isto ouvis, digo: Amai a vossos inimigos, fazei bem aos que vos odeiam;" - Lucas 6:27

 

Durante o século XIX, a população tribal da Nova Zelândia estava frequentemente em guerra contra as tropas britânicas de ocupação. Um dia, enquanto se recuperava de um extenuante conflito, um general chamado Cameron e seus homens acamparam-se na orla do rio Waikato. Seus soldados tinham poucas provisões e esperavam um ataque dos guerreiros Maoris. De repente, um homem que tinha sido posto como sentinela avisou que várias canoas de grande tamanho estavam subindo o rio. Cameron e seus soldados esperavam que as canoas estivessem cheias de guerreiros, mas se viram surpreendidos ao notar os barcos carregados com leite, cabras e batatas. Os Maoris disseram: "Ouvimos dizer que estavam famintos e o livro que os missionários trouxeram diz: "Se o teu inimigo tiver fom, dá-lhe de comer". Vocês são os inimigos, têm fome e nós os alimentamos. Isto é tudo". Os Maoris saltaram na orla, descarregaram os alimentos e regressaram aprazivelmente a seu povoado. Estes neozelandeses tribais, iluminados pela Palavra de Deus, mostraram amor para com seus inimigos. Tomaram Romanos 12:20 ao pé da letra, compreendendo o que ali estava escrito.

Devemos nós por acaso, fazer menos que isto?

Recorde por um momento a sua reação quando alguém em seu trabalho lhe causou aborrecimentos. Pense acerca do colega de classe que lhe tratou mal. Você respondeu com o leite e o mel da bondade humana? Ou ainda melhor, deu-lhe a provar do fruto do Espírito Santo em sua vida?

Nosso verdadeiro caráter como cristãos se conhece melhor por nossas ações para com aqueles que nos maltrataram. A represália vingativa não deve ter lugar algum em nossa vida. Em vez disso, façamos como os Maoris e "alimentemos o inimigo".

A mais gloriosa vitória que podemos obter sobre um inimigo é converte-lo em amigo. " Não te deixes vencer o mal, mas vence o mal com o bem". - Romanos 12:21.

Com certeza, você e eu temos muita dificuldade em viver isso em nossas vidas, mas é simplesmente isso que a Palavra de Deus nos ensina a fazer.

"...que te importa? Quanto a ti, segue-me" - João 21:22

O Senhor Jesus tinha acabado de dizer a Pedro que ele viveria até se tornar um idoso e então morreria a morte de um mártir. Pedro imediatamente olhou para João e perguntou em voz alta se João receberia um tratamento melhor. A resposta do Senho foi: "...que te importa? Quanto a ti, segue-me".

Lembrando da atitude de Pedro, Dag Hammarskjold escreveu: "Apesar de tudo, sua amargura, porque os outros estão desfrutando do que lhe foi negado, está sempre pronta para explodir. Na melhor das hipóteses, ela fica dormindo por uns poucos dias ensolarados. Ainda assim, mesmo neste nível indescritivelmente miserável, ela ainda é uma expressão da verdadeira amargura da morte - o fato de que aos outros é permitido continuarem vivendo".

Se levássemos a sério as palavras do Senhor, elas resolveriam muitos problemas entre o povo cristão.

É tão fácil ficarmos ressentidos quando vemos outros prosperarem mais que nós. O Senhor permite que eles tenham uma casa nova, um carro novo, um chalé perto do lago.

Outros, a quem talvez consideremos como menos devotos que nós, têm boa saúde enquanto lutamos contra duas ou três doenças crônicas.

A família ao lado tem filhos lindos que se sobressaem em esportes e no meio acadêmico. Nossos filhos são normais, do tipo mais comum.

Vemos outros crentes fazendo coisas que não temos a liberdade de fazer. Mesmo que essas coisas não sejam pecados, ficamos ressentidos com sua liberdade.

É triste dizer, mas há certa inveja profissional entre obreiros cristãos. Um dos pregadores fica ofendido porque o outro é mais popular, tem mais amigos, fica na luz do holofote. Ou outro fica irritado porque seus colegas usam métodos que ele não aprova.

As palavras do Senhor atingem todas estas atitudes indignas com força surpreendente:"...que te importa? Quanto a ti, segue-me". Como o Senhor lida com outros cristãos realmente não é da nossa conta. Nossa responsabilidade é segui-Lo em qualquer que seja o caminho que Ele escolheu para nós.

Estraído do Devocional Luz Para o Caminho - William MacDonald