Visite Nossa Página no Youtube





ONLINE
1





Partilhe este Site...





Total de visitas: 635295
Qual é o seu Caminho?
Qual é o seu Caminho?

Caso queira assistir essa meditação clique aqui

Vamos tomar um pouco de tempo nesse estudo, recordando que o homem é religioso desde o começo, vemos Caim, tentando agradar o Criador com os frutos do seu esforço. Nesse caso Deus rejeitou sua oferta, pois ela baseava se mais em seu esforço e na sua maneira de agradar a Deus, algo que sempre será uma perda de tempo, pois não podemos agradar a Deus com nossos sacrifícios, por mais que tentemos levar um sacrifício, ele não terá nenhum efeito diante de Deus.

Temos que ter sempre em mente que o sangue derramado nas ofertas sempre apontava para a obra redentora que haveria de ocorrer, que hoje podemos desfrutar, pois ela de fato ocorreu, em Jesus Cristo nosso Senhor.

Mas o homem, desde a antiguidade tem procurado se relacionar com Deus, ou com deuses, pois está no ser do homem a busca pelo Criador, ainda que muitas vezes isso não seja percebido por ele, e ele negue crer ou acreditar no Criador, mas suas mais íntimas necessidades buscam a isso.

Nesses dias que surgem muitos movimentos em torno da verdade, cada um defendendo um princípio e muitas vezes até conceitos. Precisamos avaliar melhor com quem caminhar.

Temos os sem placa, os com placa, os só em casa, os que não pode ser em casa, temos os que nem casas nem templos(construções maiores), enfim temos uma infinidade de modelos e na sua maioria, para não dizer todos, defendem que seu modelo é o certo ou o mais politicamente correto.

Dizer que no início da igreja os irmãos não tinham templo é até correto, mas não podemos negar que os irmãos eram ainda continuamente no templo ou nas sinagogas judaicas, seja para oração, pregação, ou outros, isso porque viviam um tempo de transição do judaismo para o cristianismo.

Dizer que isso ou aquilo é bíblico, é perigoso, pois é bíblico o que esta na bíblia, e sendo assim, temos muito pouca informação para dizer sim ou não a casas e construções maiores.

Devemos sim olhar, para o local de reunião, ou melhor analisar a reunião em si, seja ela em uma casa, ou uma construção mais peculiar que a sociedade chama de templo, “não que eu o chame”, apenas como uma construção, pois sabemos que o Deus Vivo não habita em casas formadas por mãos humanas, sendo assim ele habita na igreja que é o conjunto de todos os salvos juntamente com Cristo, que vemos nas escrituras com quatro características diferentes, as quais podem ou já temos estudado em alguns aspectos, mas apenas para recordar, colocamos aqui: Corpo de Cristo, Noiva de Cristo, Casa de Deus e Candelabro (esse por sinal pouco falado), e se assim olharmos não vamos achar nenhuma construção ou religião, ou o nome que você quiser dar que seja o lugar onde Deus esta.

Temos que nos voltar às características das escrituras e analisarmos a doutrina de Deus, deixada a nós através do ensino dos apóstolos, e ali, encontraremos o modelo correto de proceder e reunir e nada mais, não encontraremos como construir um local correto para se reunir, sendo assim, o cristianismo desde muito tempo tem se dividido e irá assim até o fim, mas cabe a cada um de nós, tomarmos a nossa responsabilidade e procurar “aqueles que de coração puro invocam o Senhor”, e andar com esses, veja que a Palavra fala de pessoas e não de construções, indiferente se reúne em casas, em barracões, ou no meio da mata, isso não importa o que importa e como e por que se reúnem, pois a doutrina de Deus estabelece o modelo de reunião, de proceder, de caráter e não como deve ser a construção, esse modelo de construção é judaizante e já passamos disso faz muito tempo, pois somos chamados a “igreja de Deus”, e tudo que é judaizante ficou para trás, seja sacerdócio, sacrifício, música, dizimo, enfim o modelo é outro, é “sacrifício de louvor que procedem dos lábios que confessam o Seu Nome” e isso nada tem haver com essa ou aquela religião, ou modelo de religião, tem haver sim, com um modelo de vida, vida separada, vida comprometida com os valores de Deus e não com o mundo, e nisso muitas vezes meu amado, tanto eu como você falhamos, mas que bom que Ele é fiel e justo e perdoa os nossos pecados e assim podemos continuar andando em novidade de vida, pela “renovação da nossa mente”, que não aceita os ensinos deste século quanto às coisas de Deus, e busca sem cessar transformar essa época.

Agora você talvez se pergunte, mas e onde estão estes, e eu posso dizer que a bíblia nos da o modelo, cabe a você orar e confiar que o Espírito Santo vai te encaminhar a encontrar a esses, vê que foi assim no Evangelho de Marcos, o Senhor disse: “Ide à cidade, e um homem, que leva um cântaro de água, vos encontrará; segui-o. E, onde quer que entrar, dizei ao senhor da casa: O Mestre diz: Onde está o aposento em que hei de comer a páscoa com os meus discípulos? E ele vos mostrará um grande cenáculo mobiliado e preparado; preparai-a ali. E, saindo os seus discípulos, foram à cidade, e acharam como lhes tinha dito, e prepararam a páscoa. E, chegada a tarde, foi com os doze.” Confie nisso meu caro, veja que o homem encontraria os discípulos e não os discípulos o encontrariam, e depois o seguiram.

Assim deve ser com você que busca a verdade de Deus, que esta cansado de mentiras, religiosidade frívola, promessas, existe mais que isso meu caro, existe um modelo correto, mas não perfeito, um modelo segundo os ensinos dos apóstolos, e com certeza com erros, com tropeços, mas acima de tudo sempre pronto a ouvir a voz de Deus e corrigir.

Talvez agora falemos um pouco do modelo:

O número, a Bíblia diz: 2 ou 3, deixando claro que é plural e não importa a quantidade.

O local, a Bíblia diz: onde se reunirem 2 ou 3 em Meu nome, ou seja exclusivamente nesse nome, ou seja o nome do Senhor.

Como, a Bíblia diz: para oração, instrução da Palavra, comunhão e partir do pão.

Com quem, a Bíblia diz: “com os que de coração puro invocam ao Senhor”, na expectativa de ouvir a Ele, e não aos homens, na lembrança de Sua morte e não de outra situação, em espetáculo aos anjos e seres espirituais e não aos homens.

Acredito que futuramente continuaremos esse estudo, mas ficamos na expectativa.

Também é interessante ler: "onde é o lugar de reunião"

Se quiser entrar em contato comigo fique a vontade: julio@boasemente.com.br

"...que te importa? Quanto a ti, segue-me" - João 21:22

O Senhor Jesus tinha acabado de dizer a Pedro que ele viveria até se tornar um idoso e então morreria a morte de um mártir. Pedro imediatamente olhou para João e perguntou em voz alta se João receberia um tratamento melhor. A resposta do Senho foi: "...que te importa? Quanto a ti, segue-me".

Lembrando da atitude de Pedro, Dag Hammarskjold escreveu: "Apesar de tudo, sua amargura, porque os outros estão desfrutando do que lhe foi negado, está sempre pronta para explodir. Na melhor das hipóteses, ela fica dormindo por uns poucos dias ensolarados. Ainda assim, mesmo neste nível indescritivelmente miserável, ela ainda é uma expressão da verdadeira amargura da morte - o fato de que aos outros é permitido continuarem vivendo".

Se levássemos a sério as palavras do Senhor, elas resolveriam muitos problemas entre o povo cristão.

É tão fácil ficarmos ressentidos quando vemos outros prosperarem mais que nós. O Senhor permite que eles tenham uma casa nova, um carro novo, um chalé perto do lago.

Outros, a quem talvez consideremos como menos devotos que nós, têm boa saúde enquanto lutamos contra duas ou três doenças crônicas.

A família ao lado tem filhos lindos que se sobressaem em esportes e no meio acadêmico. Nossos filhos são normais, do tipo mais comum.

Vemos outros crentes fazendo coisas que não temos a liberdade de fazer. Mesmo que essas coisas não sejam pecados, ficamos ressentidos com sua liberdade.

É triste dizer, mas há certa inveja profissional entre obreiros cristãos. Um dos pregadores fica ofendido porque o outro é mais popular, tem mais amigos, fica na luz do holofote. Ou outro fica irritado porque seus colegas usam métodos que ele não aprova.

As palavras do Senhor atingem todas estas atitudes indignas com força surpreendente:"...que te importa? Quanto a ti, segue-me". Como o Senhor lida com outros cristãos realmente não é da nossa conta. Nossa responsabilidade é segui-Lo em qualquer que seja o caminho que Ele escolheu para nós.

Estraído do Devocional Luz Para o Caminho - William MacDonald