Visite Nossa Página no Youtube


Rating: 2.8/5 (44 votos)




ONLINE
2





Partilhe este Site...







Total de visitas: 668012
Namoro - Dúvida Cruel
Namoro - Dúvida Cruel


A tempos gostaria de falar sobre esse assunto, mas somente agora me apareceu

a oportunidade.

Espero que você leitor, possa tirar um proveito sincero de tudo que tenho

colocado nesse estudo e possa seguir os conselhos.

Namoro ou Noivado, como fazer a escolha certa?

Gostaria de deixar claro que esses conselhos, só serão úteis, se você leitor,

tomar a decisão por si só, de escolher esse caminho, pois a pressão exercida por

outros não será suficiente para que você possa permanecer firme no propósito

de andar por esses caminhos.

Não vamos encontrar muitas coisas claras na Palavra de Deus sobre esse

assunto e muitas respostas devem vir de analises de textos, entre eles quero

citar dois:

Encontramos na Palavra o texto de Gn 2:18, que nos mostra que foi a vontade

de Deus, criar a família, pois Ele viu que não era bom que o homem vivesse só,

sendo assim, sabemos que Deus está interessado em que você possa formar

uma família para não andar só, mas veja que andar só implica em muitas

situações.

A partir de agora quero relatar algumas:

Se você é cristão e não quer andar só e sim formar uma família, algumas

atitudes básicas têm que ser tomadas, e cito algumas.

- Vida de oração, para encontrar o parceiro ou parceira.

- Leitura da Palavra para identificar a pessoa certa.

- Convívio Social para descobrir procedimentos e atitudes.

 

Olhando agora para outro texto, vou dar mais algumas diretrizes e acredito que

você poderá ver com mais clareza a partir disso. O texto que proponho é

bastante conhecido entre cristãos e esta em Js 24:15, onde encontramos Josué

dizendo, “eu e minha casa serviremos ao Senhor”.

Olhando para esse texto você pode fazer algumas perguntas a si mesmo e

encontrar as respostas certas:

- Para que minha casa sirva ao Senhor, basta que apenas um seja cristão?

- Para que minha casa sirva ao Senhor, podemos pensar diferente em relação à

Palavra de Deus?

- Para que minha casa sirva ao Senhor, podemos buscar coisas diferentes no

Senhor e independentes a cada um?

- Para que minha casa sirva ao Senhor, podemos seguir duas ou mais doutrinas

diferentes?

- Para que minha casa sirva ao Senhor, podemos não caminhar juntos na mesma

direção em relação às coisas de Deus?

- Para que minha casa sirva ao Senhor, podemos ter uma vida sem oração?

Bom agora que você leitor já consegue visualizar melhor os conselhos bíblicos,

gostaria de convidar você a uma reflexão sincera e profunda:

Eu como cristão, devo ter um companheiro ou companheira que não ame ao

Senhor?

Eu como cristão, devo me relacionar com atitude de constituir uma família, com

uma pessoa que não se confessa salva, seja por palavras ou atitudes?

Eu como cristão, devo buscar um companheiro ou uma companheira que não se

interessa por vida de oração e por meditação na Palavra?

Eu como cristão, devo buscar uma pessoa que somente tenha desejos físicos e

nenhum interesse pela obra de Deus?

Eu como cristão, devo buscar alguém que não tem desejo missionário, se eu

tenho, ou vice versa?

Eu como cristão, devo confessar uma doutrina bíblica e meu companheiro ou

companheira uma totalmente diferente?

Acredito que, com mais essa reflexão nos aproximamos de uma resposta mais

completa, mas ainda quero levar em conta mais algumas:

Se dou valor à virgindade, devo me envolver com quem não dá valor a isso?

Se creio que Deus tem o melhor para mim, devo buscar a pessoa em lugares

onde Deus é desonrado?

Se amo o Senhor e tenho um coração purificado, devo me envolver com quem

age e fala com palavrões e uma vida mundana?

Se creio na Palavra de Deus, devo me envolver com quem meus pais não

aprovam?

Se busco andar no caminho, devo me envolver com quem não busca uma

profissão, e não tem como sustentar um lar, no caso do homem.

Se busco um lar no Senhor minha esposa pode ser alguém que não tem nenhum

preparo para cuidar da família?

Enfim essa lista pode crescer à medida que vamos pensando e sendo assim, nos

dá motivo de sobra para analisarmos e decidirmos como devemos entrar num

relacionamento.

Agora algumas dicas emocionais:

Não substitua seu companheiro pelo seu pai.

- Não substitua sua companheira pela sua mãe.

- Não seda a pressão sexual nunca.

- Case virgem. Se caso já não é, não esconda a verdade, mas diga que a partir

de agora quer o padrão bíblico, que é a virgindade.

- Seja sincero com tudo que te aconteceu no passado.

- Não construa um relacionamento baseado em mentiras e suposições.

Agora quero que preste atenção nesses dois alertas:

- Não espere se envolver emocionalmente para depois fazer as perguntas acima,

faça isso antes.

- Procure andar com sua família, participar dos eventos que ela participa e de

valor aos irmãos e irmãs em Cristo.

Acredito agora que ficou um pouco mais fácil, mas ainda teremos outros

aspectos que deixaremos para outra oportunidade.

Continuaremos em breve.

"...que te importa? Quanto a ti, segue-me" - João 21:22

O Senhor Jesus tinha acabado de dizer a Pedro que ele viveria até se tornar um idoso e então morreria a morte de um mártir. Pedro imediatamente olhou para João e perguntou em voz alta se João receberia um tratamento melhor. A resposta do Senho foi: "...que te importa? Quanto a ti, segue-me".

Lembrando da atitude de Pedro, Dag Hammarskjold escreveu: "Apesar de tudo, sua amargura, porque os outros estão desfrutando do que lhe foi negado, está sempre pronta para explodir. Na melhor das hipóteses, ela fica dormindo por uns poucos dias ensolarados. Ainda assim, mesmo neste nível indescritivelmente miserável, ela ainda é uma expressão da verdadeira amargura da morte - o fato de que aos outros é permitido continuarem vivendo".

Se levássemos a sério as palavras do Senhor, elas resolveriam muitos problemas entre o povo cristão.

É tão fácil ficarmos ressentidos quando vemos outros prosperarem mais que nós. O Senhor permite que eles tenham uma casa nova, um carro novo, um chalé perto do lago.

Outros, a quem talvez consideremos como menos devotos que nós, têm boa saúde enquanto lutamos contra duas ou três doenças crônicas.

A família ao lado tem filhos lindos que se sobressaem em esportes e no meio acadêmico. Nossos filhos são normais, do tipo mais comum.

Vemos outros crentes fazendo coisas que não temos a liberdade de fazer. Mesmo que essas coisas não sejam pecados, ficamos ressentidos com sua liberdade.

É triste dizer, mas há certa inveja profissional entre obreiros cristãos. Um dos pregadores fica ofendido porque o outro é mais popular, tem mais amigos, fica na luz do holofote. Ou outro fica irritado porque seus colegas usam métodos que ele não aprova.

As palavras do Senhor atingem todas estas atitudes indignas com força surpreendente:"...que te importa? Quanto a ti, segue-me". Como o Senhor lida com outros cristãos realmente não é da nossa conta. Nossa responsabilidade é segui-Lo em qualquer que seja o caminho que Ele escolheu para nós.

Estraído do Devocional Luz Para o Caminho - William MacDonald