Visite Nossa Página no Youtube





ONLINE
1





Partilhe este Site...





Total de visitas: 634645
Vidro de Palmito
Vidro de Palmito

Vamos ao exemplo do vidro de Palmito:

Um professor tinha alguns itens na sua frente. Quando a aula começou, sem dizer uma palavra, ele pegou um vidro grande vazio, esse do tipo que colocamos grandes palmitos e colocou quatro bolas de golfe. Olhou em direção aos alunos e perguntou se o frasco estava cheio. Eles imediatamente disseram que sim.

Para surpresa de todos pegou uma caixa de pedras britas e derramou-as, balançando o vidro para que pudessem se acomodar. Novamente se dirigiu a classe e perguntou, se o vidro se encontrava cheio, mais uma vez a resposta foi sim.

Querendo passar uma importante lição aos alunos, pegou um saco com areia, e despejou na boca do vidro, a areia por si, foi se ajeitando no vidro até a boca. Novamente olhou aos alunos e perguntou se agora o vidro estava de fato cheio. A resposta acompanhada de um sorriso foi imediata, agora sim!

Quando todos pensavam que estava resolvido, ele saiu da sala e voltou com um frasco cheio de água, e derramou sobre a boca do vidro, e a água simplesmente sumiu no meio daqueles elementos e assim o professor disse: “Creio que agora temos um vidro totalmente ocupado”. E todos com o semblante quieto, acenaram que sim.

Olhando tranquilamente aos alunos, começou a explicar:

Esse vidro representa a vida de cada um de nós, as quatro bolas de golfe, representam as quatro coisas importantes em nossas vidas, assim, elas devem ocupar um grande espaço, ou seja, ali esta nossa família, que inclui, esposa ou marido, filhos e pais, nossa relação pessoal com Deus, através de Jesus Cristo que é manifestada através de uma vida de oração e meditação da Palavra de Deus, nossa comunhão com aqueles que como nós amam a Deus, ou seja, seus irmãos em Cristo, pois o Senhor Jesus mesmo disse, “essa é minha família, aqueles que fazem a vontade de meu Pai” e para fechar sua saúde, ou seja os cuidados com você mesmo.

Quanto ao resto dos itens colocados no vidro, representam todo o resto, e se eles estiverem dentro do vidro que representa a sua vida de uma forma correta, com certeza você viverá bem. As pedras representam seu trabalho, seu carro, sua casa, enfim coisas legítimas, mas, que devem estar sempre em segundo plano, nunca devem se tornar a bola de golfe no seu vidro.  O resto, ou seja, a areia e a água são aquelas coisas que muitas vezes despejamos em nossas vidas que nos sufocam e nunca devemos permitir que elas ocupem o lugar daquilo que realmente importa, então nunca permita que a areia e a água sejam colocadas no seu vidro, antes das bolas de golfe e das pedras britas, pois se assim o fizer, esses dois itens não encontraram lugar em você. Também não permita que as pedras britas sejam colocadas primeiro. Pois elas também ocuparão o espaço daquilo que realmente importa.

Você deve estar olhando e perguntado: “Mas como faço isso?” Então eu explico.
Se usarmos todo o nosso tempo e energia nas coisas que pouco tem valor, você ocupará o tempo e o espaço daquilo que realmente tem valor na sua vida.

Preste atenção às coisas que são essenciais para sua felicidade. Pois felicidade está dentro de você e não fora. Invista tempo em sua família, saia com a esposa ou marido, passeie com os filhos, visite seus pais, seus avós, viaje, medite na Palavra de Deus, leia bons livros, ore diariamente, compartilhe a Palavra de Deus com as pessoas, visite os amigos, vá a reuniões bíblicas, vá as conferências bíblicas, vá nos encontro de jovens, convide irmãos em Cristo para vir na sua casa, almocem juntos, conversem muito, cuide de sua saúde, faça alguns exercícios, não seja extravagante, pense em você,pois sempre terá tempo para as coisas corriqueiras, como pintar a casa, lavar o carro, cortar a grama, limpar a garagem, enfim as coisas básicas da vida.

Priorize o que realmente importa, ou seja, as quatro bolas de golfe! O resto é insignificante. O trabalho pode mudar, a casa pode ruir, o carro pode se vender e comprar outro, enfim tudo isto sempre deve estar em segundo plano.  Não abra mão do que realemente importa para você.

Um grande abraço de seu irmão e conservo em Cristo,

Julio.

Tenham todos, uma boa semana!

"...que te importa? Quanto a ti, segue-me" - João 21:22

O Senhor Jesus tinha acabado de dizer a Pedro que ele viveria até se tornar um idoso e então morreria a morte de um mártir. Pedro imediatamente olhou para João e perguntou em voz alta se João receberia um tratamento melhor. A resposta do Senho foi: "...que te importa? Quanto a ti, segue-me".

Lembrando da atitude de Pedro, Dag Hammarskjold escreveu: "Apesar de tudo, sua amargura, porque os outros estão desfrutando do que lhe foi negado, está sempre pronta para explodir. Na melhor das hipóteses, ela fica dormindo por uns poucos dias ensolarados. Ainda assim, mesmo neste nível indescritivelmente miserável, ela ainda é uma expressão da verdadeira amargura da morte - o fato de que aos outros é permitido continuarem vivendo".

Se levássemos a sério as palavras do Senhor, elas resolveriam muitos problemas entre o povo cristão.

É tão fácil ficarmos ressentidos quando vemos outros prosperarem mais que nós. O Senhor permite que eles tenham uma casa nova, um carro novo, um chalé perto do lago.

Outros, a quem talvez consideremos como menos devotos que nós, têm boa saúde enquanto lutamos contra duas ou três doenças crônicas.

A família ao lado tem filhos lindos que se sobressaem em esportes e no meio acadêmico. Nossos filhos são normais, do tipo mais comum.

Vemos outros crentes fazendo coisas que não temos a liberdade de fazer. Mesmo que essas coisas não sejam pecados, ficamos ressentidos com sua liberdade.

É triste dizer, mas há certa inveja profissional entre obreiros cristãos. Um dos pregadores fica ofendido porque o outro é mais popular, tem mais amigos, fica na luz do holofote. Ou outro fica irritado porque seus colegas usam métodos que ele não aprova.

As palavras do Senhor atingem todas estas atitudes indignas com força surpreendente:"...que te importa? Quanto a ti, segue-me". Como o Senhor lida com outros cristãos realmente não é da nossa conta. Nossa responsabilidade é segui-Lo em qualquer que seja o caminho que Ele escolheu para nós.

Estraído do Devocional Luz Para o Caminho - William MacDonald