Visite Nossa Página no Youtube


Rating: 2.8/5 (44 votos)




ONLINE
3





Partilhe este Site...







Total de visitas: 667993
Remissão de Pecados
Remissão de Pecados

Antes de começarmos a falar sobre remissão, temos que saber o que exatamente isso significa, pois os chavões evangélicos de nada nos servem e muitas vezes criam uma perspectiva errada.

Se analisarmos os textos, perceberemos que remissão é perdão efetivo, completo e se for a qualquer bom dicionário, confirmará, que remissão é exatamente o sinônimo de perdão, absolvição e indulto.

Nossa linha então contempla essas coisas, ou seja, perdão, absolvição e indulto.

Em primeiro lugar, temos que aceitar o fato que todos somos culpados diante de Deus, leia Rm 1:16 até 32, e verá que esse é o retrato da humanidade, ainda que esse texto seja bastante pesado, direcionado aos idolatras e aos depravados, se você for sincero, verá que nos dias de hoje, a humanidade procede assim, basta ligar a tv, ir ao cinema, ouvir música, então todos, todos mesmos, são pecadores indesculpáveis diante de Deus, sendo assim, todos precisam da remissão dos pecados. Mas alguém pode dizer, que não se enquadra entre esses homens, e para isso devemos ler em Rm 2: 1 ao 16, e mais uma vez verá que toda a sociedade se enquadra aqui, inclusive os mais cultos e aparentemente melhores. Então fechamos do versículo 17 em diante, vendo com clareza que os judeus também são indesculpáveis. 

Lendo Lc 24: 45 a 48, vemos a necessidade da remissão dos pecados.

Em At 26: 18, vemos que Paulo foi chamada para esse proposito, ou seja, pregar a remissão de pecados.

Vemos ainda em At 2:38, At 5: 31, At 10: 43, que a pregação dos apostolos, estava ligada a remissão.

Sendo assim, perceberá que a palavra traduzida nestes textos, significa simplesmente perdão.

Leiamos agora I Jo 2: 12, o apostolo está afirmando o perdão, dando um veredicto que ele já aconteceu.

Agora vamos ler Rm 4: 7 e Sl 32: 1, mais uma vez mostra de modo afirmativo que o homem é perdoado e por isso é feliz.

Então você pergunta, mas qual o fundamento desse perdão? E para tranquilizar seu coração, eu peço que leia atentamente:

I Jo 4:10, I Jo 1:9, Rm 3: 24 a 26, II Co 5:19, Hb 9: 6 até Hb 10: 18(repare no v. 10:14)

Espero que tenha compreendido, que o fato de sermos perdoados(remidos), não nos faz melhor do que ninguém, nos tornamos filhos e podemos agora ter comunhão com Deus e com o Filho, e muitas vezes teremos que reconhecer que ainda que estamos perdoados para sempre, teremos que ir até Ele e confessar os nossos pecados, I Jo 1:9
 
Um bom estudo

"...que te importa? Quanto a ti, segue-me" - João 21:22

O Senhor Jesus tinha acabado de dizer a Pedro que ele viveria até se tornar um idoso e então morreria a morte de um mártir. Pedro imediatamente olhou para João e perguntou em voz alta se João receberia um tratamento melhor. A resposta do Senho foi: "...que te importa? Quanto a ti, segue-me".

Lembrando da atitude de Pedro, Dag Hammarskjold escreveu: "Apesar de tudo, sua amargura, porque os outros estão desfrutando do que lhe foi negado, está sempre pronta para explodir. Na melhor das hipóteses, ela fica dormindo por uns poucos dias ensolarados. Ainda assim, mesmo neste nível indescritivelmente miserável, ela ainda é uma expressão da verdadeira amargura da morte - o fato de que aos outros é permitido continuarem vivendo".

Se levássemos a sério as palavras do Senhor, elas resolveriam muitos problemas entre o povo cristão.

É tão fácil ficarmos ressentidos quando vemos outros prosperarem mais que nós. O Senhor permite que eles tenham uma casa nova, um carro novo, um chalé perto do lago.

Outros, a quem talvez consideremos como menos devotos que nós, têm boa saúde enquanto lutamos contra duas ou três doenças crônicas.

A família ao lado tem filhos lindos que se sobressaem em esportes e no meio acadêmico. Nossos filhos são normais, do tipo mais comum.

Vemos outros crentes fazendo coisas que não temos a liberdade de fazer. Mesmo que essas coisas não sejam pecados, ficamos ressentidos com sua liberdade.

É triste dizer, mas há certa inveja profissional entre obreiros cristãos. Um dos pregadores fica ofendido porque o outro é mais popular, tem mais amigos, fica na luz do holofote. Ou outro fica irritado porque seus colegas usam métodos que ele não aprova.

As palavras do Senhor atingem todas estas atitudes indignas com força surpreendente:"...que te importa? Quanto a ti, segue-me". Como o Senhor lida com outros cristãos realmente não é da nossa conta. Nossa responsabilidade é segui-Lo em qualquer que seja o caminho que Ele escolheu para nós.

Estraído do Devocional Luz Para o Caminho - William MacDonald