Visite Nossa Página no Youtube


Rating: 2.8/5 (44 votos)




ONLINE
3





Partilhe este Site...







Total de visitas: 668004
Comunhão Horizontal e Vertical
Comunhão Horizontal e Vertical

Clicando Aqui, você pode ouvir essa resposta ao vivo.

Quanto ao assunto “Mesa do Senhor”, não compreendi sua pergunta.

Creio que está perguntando sobre comungar com irmãos de outras doutrinas, caso for isso, vou explicar, caso não, por favor, refaça a pergunta.

Desde que encontramos o assunto Mesa do Senhor, entendemos que a mesma pertence a Ele e não a nós, sendo assim, quem convida para Sua mesa é Ele e não nós, em nós devemos ter o desejo de estar participando nessa mesa. Assim podemos ver que temos de estar sujeitos aos princípios dEle e não aos nossos. Esquadrinhemos assim a Palavra e encontraremos esses princípios e assim teremos comunhão prática com aqueles que andam nesses princípios, devemos amar a todos que confessam ao Senhor Jesus, e tê-los como irmãos, mas não podemos participar de uma mesa que não guarda os princípios da Palavra, pois isso significaria que não estamos levando em conta os princípios da Palavra, que nos mostram a quem pertence essa mesa. Mas quem sou eu para dizer para um irmão participar ou não, o que procuro é mostrar os princípios que a Palavra ensina e cada um deve buscar por si só "aqueles que com o coração puro invocam ao Senhor", quando comecei a me reunir, como já lhe escrevi no passado, comecei a ler as escrituras e assim aprendi que o Senhor tem a Sua mesa posta e todos os santos são convidados a participar, mas como Ele é dono da mesa, os princípios designados por Ele é que valem, então, para participar devo me sujeitar a esses princípios,  então comecei a procurar quem praticava esses princípios e encontrei muitos irmãos no planeta, e hoje tenho comunhão prática com esses, ou seja, não participo de nenhuma "ceia", fora desses princípios, por mais que eu ame as pessoas ali, pois se não guardam os princípios da Palavra, não consigo crer que essa mesa é do Senhor, pois os Seus princípios não estão sendo levados em conta. Por exemplo, tenho alguns familiares que são pastores de algumas denominações, como poderei eu ir ali participar da "ceia", se a divisão é defendida como a vontade de Deus, pois cada um prega segundo a sua denominação, assim sendo, ali pode até ter uma ceia memorial, mas a mesa do Senhor não está sendo reconhecida por esses santos, então estarei participando de uma ceia memorial, mas em uma mesa criada segundo os princípios do homem.

Vemos que o Senhor Jesus, disse aos Seus, que era um desejo participar com eles aquela pascoa ( Lucas 22: 15), mas em Marcos 14: 15, vemos muito claro que tudo foi encontrado pronto, isso nos mostra muito claro que a vontade do Senhor tem de estar acima de tudo, e devemos guardar o que Ele designou.

No livro de Ageu 2: 12, 13, vemos muito claro o princípio da contaminação, assim sendo, participar de algo feito pelo homem é se contaminar, e não avisar alguém que vem desse lugar sobre essa contaminação, é permitir que ele contamine com os princípios que trás o lugar onde estamos. Gosto muito do exemplo da água suja e limpa, pois se colocar água limpa no copo de água suja, a água continuará suja, se colocar água suja no copo de água limpa, a água limpa ficará suja, não temos o poder de transformar os princípios, temos de aceita-los somente.

Assim, espero que possa ter entendido por que devemos participar somente onde os princípios da mesa podem ser guardados. Ter amizade com outros santos, falar da Palavra, isso tudo é muito diferente de participar de um memorial colocado sobre outro fundamento que não é a Palavra de Deus.

Mais um pequeno esclarecimento: Não tenho o direito de impedir alguém que vem me visitar de participar, mas tenho obrigação de explicar e assim, se o coração do irmão for sincero, dificilmente participará de duas mesas, pois entenderá. E se quer continuar segundo os princípios do homem, não virá ali, onde os princípios do Senhor estão guardados, ou simplesmente deixará de participar onde os princípios do Senhor não são guardados, cabe a cada um escolher.

Abraços.

"...que te importa? Quanto a ti, segue-me" - João 21:22

O Senhor Jesus tinha acabado de dizer a Pedro que ele viveria até se tornar um idoso e então morreria a morte de um mártir. Pedro imediatamente olhou para João e perguntou em voz alta se João receberia um tratamento melhor. A resposta do Senho foi: "...que te importa? Quanto a ti, segue-me".

Lembrando da atitude de Pedro, Dag Hammarskjold escreveu: "Apesar de tudo, sua amargura, porque os outros estão desfrutando do que lhe foi negado, está sempre pronta para explodir. Na melhor das hipóteses, ela fica dormindo por uns poucos dias ensolarados. Ainda assim, mesmo neste nível indescritivelmente miserável, ela ainda é uma expressão da verdadeira amargura da morte - o fato de que aos outros é permitido continuarem vivendo".

Se levássemos a sério as palavras do Senhor, elas resolveriam muitos problemas entre o povo cristão.

É tão fácil ficarmos ressentidos quando vemos outros prosperarem mais que nós. O Senhor permite que eles tenham uma casa nova, um carro novo, um chalé perto do lago.

Outros, a quem talvez consideremos como menos devotos que nós, têm boa saúde enquanto lutamos contra duas ou três doenças crônicas.

A família ao lado tem filhos lindos que se sobressaem em esportes e no meio acadêmico. Nossos filhos são normais, do tipo mais comum.

Vemos outros crentes fazendo coisas que não temos a liberdade de fazer. Mesmo que essas coisas não sejam pecados, ficamos ressentidos com sua liberdade.

É triste dizer, mas há certa inveja profissional entre obreiros cristãos. Um dos pregadores fica ofendido porque o outro é mais popular, tem mais amigos, fica na luz do holofote. Ou outro fica irritado porque seus colegas usam métodos que ele não aprova.

As palavras do Senhor atingem todas estas atitudes indignas com força surpreendente:"...que te importa? Quanto a ti, segue-me". Como o Senhor lida com outros cristãos realmente não é da nossa conta. Nossa responsabilidade é segui-Lo em qualquer que seja o caminho que Ele escolheu para nós.

Estraído do Devocional Luz Para o Caminho - William MacDonald