Visite Nossa Página no Youtube


Rating: 2.8/5 (44 votos)




ONLINE
3





Partilhe este Site...







Total de visitas: 668068
As irmãs em Meio aos Dias Maus
As irmãs em Meio aos Dias Maus

Nestes dias tenho me dedicado ao estudo do livro de Tito Capítulo 2 e gostaria de compartilhar em especial sobre as irmãs e a orientação de Paulo a Tito, visando às irmãs.

Interessante as colocações de Paulo a Tito nos versículos 3, 4 e 5, onde somos chamados a atenção ao pastoreio das irmãs mais novas pelas mais velhas, mas sendo que as irmãs não devem ensinar em público, onde é o lugar de atuação delas? Aqui temos um assunto que é preciso estar atento, pois sendo que no princípio não havia templos (quem dera vivêssemos assim hoje, com certeza teríamos crentes mais fiéis e sinceros) o local de se reunir eram as casas dos irmãos como podemos ver, que em mais de 119 vezes a casa como um conjunto com essa característica é citada nas escrituras, então definimos aqui, que público é nada mais que reuniões entre irmãos e irmãs, ou melhor, como  assembléia de santos reunida, para aprender, orar, edificar, adorar...

Resta a nós aceitarmos que a vida cristã corre nos lares e é exatamente aqui que a atuação das irmãs é importante e creio que mais importante que dos irmãos, no aspecto do ensino pratico as irmãs mais novas, pois a responsabilidade das irmãs mais velhas vai de longe à frente dos irmãos.

Quero agora citar o texto de Paulo a Tito que encontramos na epistola de Tito 2:3, 4 e 5

“As mulheres idosas, semelhantemente, que sejam sérias no seu viver, como convém a santas, não caluniadoras, não dadas a muito vinho, mestras no bem;  Para que ensinem as mulheres novas a serem prudentes, a amarem seus maridos, a amarem seus filhos,  A serem moderadas, castas, boas donas de casa, sujeitas a seus maridos, a fim de que a palavra de Deus não seja blasfemada.”

Quero que você pense antes de tudo, onde encontrar essa mulher, e depois de muito pensar verá que é no dia a dia, na lida da vida, em seu lar, no seu conjunto chamado “casa”.

Vejamos que tudo que Paulo instruiu a Tito aqui tem um propósito especifico, ou seja, que se comportem assim para essa finalidade e qual finalidade? Exatamente pastorear as irmãs mais novas, caro leitor quando uso o termo pastorear, não estou aqui defendendo o ensino errado de mulheres pastoras, e sim mostrando a responsabilidade das irmãs mais velhas em relação as mais novas, quanto ao proceder, mas voltemos ao nosso estudo.

Cara irmã, ou irmão, veja que é necessário ser experimentada, pessoas que conhecem ao Senhor intimamente e não seja nova na fé, pois entendemos pelo versículo 2, que é anterior a esse texto que as irmãs mais velhas são irmãs maduras no Senhor, e se não vermos dessa maneira chegaremos ao absurdo que temos visto em meio aos dias atuais, cada um seguindo seu próprio caminho, voltando a Tito, Paulo diz o que convém às santas, ou seja, irmãs separadas do mundo, que amam o seu Senhor e entre as qualificações vemos que não deve ser caluniadora, pois quem age de tal forma não terá testemunho para construir vidas nunca, a palavra que Paulo usa aqui é “diabolos”, ou seja, esta diretamente relacionada à mentira e ao pai da mentira, o diabo, sendo assim calúnia, tem que ser extirpada do meio dos filhos de Deus, pois quem poderá lhe dar crédito? Sendo assim as irmãs que não se dedicam a Palavra, a oração é melhor começar ainda hoje, pois só assim serão experimentadas e não caluniadoras. Quanto ao vinho, creio que não preciso dizer muito, pois até a sociedade zomba de quem é beberrão, seja um beberrão social (de fim de semana), ou diário (alcoólatra). Quanto a serem mestras do bem, para isso necessitam de executar ações e trazer as mais jovens para perto para aprenderem a agir de tal maneira e onde isso deve acontecer senão na esfera do lar que é a extensão e melhor dizendo é a primeira assembléia de santos, ou seja, a família. Como ser prudentes se não sabe administrar o lar, os filhos, as necessidades, os hospedes, enfim, a prudência só ocorre na execução do dia a dia do lar. E quanto a amarem seus maridos, ah, minha querida irmã, veja que sem pratica não é possível, pois amar é ação, atitude, é compromisso e o amor é assim demonstrado, no lar com o marido e os filhos, infelizmente tem saído de moda irmãs que cuidam do lar, do marido, dos filhos, mas quero exortar você leitora, ou leitor que não deve ser assim na “igreja de Deus”, cara irmã, com poucas palavras podemos ver que ministério glorioso, o Senhor deixou para cada uma de vocês, por isso, se dedique a conhecer mais o Senhor, se distancie do mundo e das coisas que no mundo há.

E para finalizar gostaria aqui de encorajar você a trazer as irmãs mais novas para seu lar, convide-as, organize pequenas reuniões para elas, se dedique, faça o que esta em suas mãos, pois disso o seu Senhor se agrada.

Quanto a você irmã jovem, se disponha, se ofereça a estar visitando as irmãs mais velhas, a ajudar na lida da casa, a tomar um chá à tarde, enfim deixe se pastorear pelas irmãs mais velhas no Senhor, pois com certeza encontrará melhor edificação para sua vida e assim estará mais bem preparada para responder sobre “a fé que uma vez foi dada aos santos”.

Para terminar gostaria de deixar algumas palavras a todos os leitores, não sejamos duros de coração e cegos, pois o Senhor esta agindo, abra a porta do seu lar, receba os irmãos, as famílias, compartilhe das coisas que você tem recebido do Senhor, pois assim estará fazendo o bem, lembre-se que os templos, “ditos igrejas erroneamente”, só surgiram no terceiro século com um golpe de Satanás através de Constantino, lembre-se das palavras do Seu Senhor, “o mundo perseguiu a mim, perseguirá a vós, odiou a mim, odiará a vós”, se assim não está ocorrendo algo não vai bem com sua vida no Senhor.

Um grande abraço e podem me escrever.

Julio Ometto

"...que te importa? Quanto a ti, segue-me" - João 21:22

O Senhor Jesus tinha acabado de dizer a Pedro que ele viveria até se tornar um idoso e então morreria a morte de um mártir. Pedro imediatamente olhou para João e perguntou em voz alta se João receberia um tratamento melhor. A resposta do Senho foi: "...que te importa? Quanto a ti, segue-me".

Lembrando da atitude de Pedro, Dag Hammarskjold escreveu: "Apesar de tudo, sua amargura, porque os outros estão desfrutando do que lhe foi negado, está sempre pronta para explodir. Na melhor das hipóteses, ela fica dormindo por uns poucos dias ensolarados. Ainda assim, mesmo neste nível indescritivelmente miserável, ela ainda é uma expressão da verdadeira amargura da morte - o fato de que aos outros é permitido continuarem vivendo".

Se levássemos a sério as palavras do Senhor, elas resolveriam muitos problemas entre o povo cristão.

É tão fácil ficarmos ressentidos quando vemos outros prosperarem mais que nós. O Senhor permite que eles tenham uma casa nova, um carro novo, um chalé perto do lago.

Outros, a quem talvez consideremos como menos devotos que nós, têm boa saúde enquanto lutamos contra duas ou três doenças crônicas.

A família ao lado tem filhos lindos que se sobressaem em esportes e no meio acadêmico. Nossos filhos são normais, do tipo mais comum.

Vemos outros crentes fazendo coisas que não temos a liberdade de fazer. Mesmo que essas coisas não sejam pecados, ficamos ressentidos com sua liberdade.

É triste dizer, mas há certa inveja profissional entre obreiros cristãos. Um dos pregadores fica ofendido porque o outro é mais popular, tem mais amigos, fica na luz do holofote. Ou outro fica irritado porque seus colegas usam métodos que ele não aprova.

As palavras do Senhor atingem todas estas atitudes indignas com força surpreendente:"...que te importa? Quanto a ti, segue-me". Como o Senhor lida com outros cristãos realmente não é da nossa conta. Nossa responsabilidade é segui-Lo em qualquer que seja o caminho que Ele escolheu para nós.

Estraído do Devocional Luz Para o Caminho - William MacDonald