Visite Nossa Página no Youtube





ONLINE
1





Partilhe este Site...





Total de visitas: 634649
A Ceia e a Mesa do Senhor - Novo
A Ceia e a Mesa do Senhor - Novo

Este Tema é muitas vezes mal interpretado e deixa muitas duvidas em meio aos cristãos, queremos aqui ajudar a cada leitor a entender melhor esse assunto tão importante e que expressa a comunhão máxima entre os santos, procurando  dar algumas orientações para o caminhar seguro nesse assunto tão importante na vida dos santos.

Caso você prefira ouvir o estudo, Clique Aqui!

Vamos primeiro analisar do ponto de vista individual, ou seja da responsabilidade de cada um, assunto que vemos em I Coríntios 11, a partir do versículo 23 até o final, em conjunto com outras passagens.

Depois vamos ver o assunto da Mesa do Senhor, para isso iremos até I Coríntios 10, a partir do versículo 16 até o fim, em conjunto com outras passagens.

Cada cristão consegue ver perfeitamente a sua responsabilidade individual em I Coríntios 11, e com certeza isso ficará mais evidente após esse estudo.

Temos que começar pelo aspecto negativo do que estava ocorrendo alí, para entendermos esse tão lindo memorial.

No capitulo 11 de I Coríntios, encontramos o nosso irmão Paulo exortando os irmãos pela maneira que eles procediam na ceia, sendo que ele chegou a dizer "não é a ceia do Senhor que vocês celebram", sendo assim, corremos o risco de não estar celebrando a ceia do Senhor.

Veja que os irmãos ali, confundiam a ceia com uma festa de amor, ao que tudo indica, comiam juntos e bebiam de comum acordo, mas alguns comiam demais e havia quem se embriagasse, e ainda se dividiam entre os mais abastados e os menos abastados, sendo assim nos vemos que Paulo os exortava individualmente, mostrando a responsabilidade de cada um quanto a tomar  a ceia, dizendo que podemos trazer julgamento sobre nós se não nos julgarmos a nós mesmos.

Sendo que, quem participa indignamente, poder chegar a ficar a doente e até dormir, expressão essa aqui que significa morrer. Por isso irmão é de grande responsabilidade o julgar a si mesmo, mas veja que o texto não diz para nos julgarmos e não comermos, e sim para julgarmos a nós mesmos e depois participarmos comendo.

Quanto a esse aspecto acredito que na grande maioria os cristãos tem se julgado e deixado de comer, mas meu amado o ensino é bem diferente aqui, então se você esta agindo assim, repense e estudo melhor ao assunto da responsabilidade individual quanto ao julgar a si mesmo.

Agora, quanto ao aspecto que encontramos em I Coríntios capitulo 10, relacionado as associações, temos alguns pontos que gostariamos de considerar.

Vou enumerar a todos e depois discorrer sobre cada um.

Mal moral, mal doutrinário, associação religiosa, responsabilidade individual.

Mas precisamos ter em mente que o capitulo 10 de I Coríntios nos fala de uma mesa e de tudo que esta associado a ela, seja a mesa do Senhor, seja a mesa dos demonios, então lembremos sempre, onde estamos associado.

Encontramos o mal moral em I Coríntios 5, vemos com clareza que havia alí mal moral, até o ponto de fornicação e prostitulição e veja a colocação de nosso irmão Paulo no versículo 6 e 7, "...um pouco de fermento leveda toda a massa", "...limpais do fermento velho", então fica claro aqui, se você tem comunhão com irmão que anda em mal moral, você esta permitindo levedar a todos, pois somos unicamente um pão, sendo assim só existe um jeito, e é colocar essa pessoa para fora, mas para fora da onde se o corpo é de Cristo e somos membros um do outro, amado, é apenas para colocarmos para fora desse memorial chamado ceia do Senhor, que é feito na mesa do Senhor, e assim que o mesmo se corrigir de tal erro, devemos convida-lo a participar novamente, então veja que quanto ao aspecto da associação a responsabilidade já não é mais individual, e sim de todos os irmãos e irmãs envolvidos, ou seja a igreja.

Veja que Paulo trata do assundo como fermento e fermento sempre esta se relacionando a algo mal, algo que trás prejuizo, então reveja o seu pensamento em relação a esses que vivem em mal moral, mas veja que Paulo se refere aos que se dizem irmãos, e não aos homens desse mundo, pois assim não poderiamos mais viver no mundo, temos de separar o fermento, e isso se refere a um cristão e não a um homem sem Deus.

Sei que existem alguns irmãos que se separam desses em relação a comunhão em suas casas, em seus relacionamentos, mas veja que é muito mais que isso, pois se você se associa com ele na mesa do Senhor e participa com ele da ceia do Senhor, esta se associando com sua imoralidade, "pois todos que comem do altar, são participantes do altar", isso é um eco em nossa vida para nos separarmos na ceia desses tais, para que se arrependam e voltem a viver como cristão dignos e mostrem em seu caminhar essa mudança de mentalidade.

Nesse aspecto devemos ter em mente, que não é que temos autoridade sobre a mesa do Senhor, mas encontramos em I Coríntios 10, um claro ensino, que os participantes do altar, e aqui uma clara demonstração da mesa do Senhor e Sua Ceia, estão integrados um ao outro, sendo assim todos participantes em conjunto, veja que isso nos fala de um só corpo, sendo assim, não posso participar como qualquer lugar e nem com qualquer pessoa.

Lembremos do ensino no evangelho de Marcos, onde o Senhor manda os seus irem procurar o lugar, onde foi instituída a ceia entre eles.

Antes de falar sobre alguns aspectos importantes, gostaria de compartilhar sobre "cartas de recomendação", antes de mais nada, lembremos de nosso amado irmão Paulo, por favor leia o capítulo 9 de Atos, que no início de sua caminhada, quiz participar com os irmãos, e eles temiam a Paulo, pois era um perseguidor, sendo assim, vemos Barnabé intercedendo ou melhor apresentando a Paulo aos demais e assim ele foi aceito na comunidade dos irmãos. Percebemos aqui que a apresentação teve um peso superior ao testemunho pessoal de Paulo, ou seja, Paulo não seria de forma alguma recebido pelos irmãos sem aquela apresentação, pois seu testemunho pessoal precisava ser provado e se Paulo aceitou essa condição, por que alguns de nós ficamos bravos e irados, quando não somos aceitos em locais desconhecidos? creio que seja falta de entendimento quanto ao seu lugar a mesa do Senhor.

Olhemos para as escrituras e veremos que a carta de recomendação, (leia: Romanos 16, I Coríntios 16 e II Coríntios 3) foi usada em diversas situações e ela nada mais é do que uma apresentação, ou melhor, um endosso, sobre o carater de um ou outro cristão, sendo assim, hoje e principalmente nos dias de hoje, irmãos que são desconhecidos nossos, precisam sim, trazer uma carta de recomendação, de outras testemunhas, das quais de alguma maneira temos conhecimento, e se não temos é nossa responsabilidade tomar conhecimento, por isso devemos nos ocupar em buscar "aqueles que de coração puro invocam o Senhor", pois esses sim, devemos partilhar com cada um deles a ceia na mesa do Senhor.

Nosso próximo assunto é o mal doutrinário, mas para isso é muito importante, você leitor meditar em Gálatas 5, e depois continuar  a leitura, pois precisa ter em mente que o fermento mal ali exposto é um mal doutrinário que permeia a igreja de Deus ainda hoje.

Quero chamar sua atenção em relação ao versículo 9, pois ele diz que um pouco de fermento leveda "toda" a massa, e isso aqui é muito importante, pois o fermento precisa ser lançado fora, senão, tudo ficará levedado, preste atenção amado, ao que Paulo fala, não se deixe enganar, andar em mistura é abrir a possibilidade para se levedar tudo, correr o risco de deixar as más doutrinas cresceram em nosso meio e isso precisa ser sanado, sendo assim, qualquer que trás outra doutrina deve ser exortado a se corrigir, se o mesmo não atentar a isso, ele precisa ser colocado para fora para se arrepender, e ser colocado para fora, mas para fora da onde? se o corpo de Cristo é um, é aqui e bem aqui que olhamos para a santidade do Senhor e sua mesa posta aos seus, os membros desse corpo e não de uma ou outra denominação tem autoridade para colocar para fora ou até não receber na comunhão esse tal, mas sempre com o objetivo de ganhar o mesmo para se arrepender e estar entre eles novamente ou com eles se for o caso.

Então quando alguém quer participar efetivamente da comunhão a mesa do Senhor, esse deve ser conhecido e suas doutrinas não devem agredir a verdade de Deus, sendo assim, tomemos muito cuidado em participar em mesas onde as coisas não são bem esclarecidas, mas amado, Deus não leva em conta o tempo da ignorância e se alguém até aqui tem agido fora da conformidade da Palavra, você pode simplismente abandonar essa prática e procurar andar em verdade também nesse assunto.

Com certeza temos muito mais a esclarecer e ainda muita luz para recebermos do Senhor, mas como o propósito desse estudo é ajudar os santos, não vamos nos alongar mais aqui e vamos as coisas, quanto ao "mal moral".

Voltemos nossos olhos para I Coríntios 5. Depois de lermos com toda atenção esse capítulo nos deparamos com o velho "fermento" novamente no versículo 6, e vemos novamente uma exortação de Paulo, para ser colocado para fora esse fermento para não levedar toda a massa.

O assunto aqui relacionado é referente a prostituição, adultério, fornicação, ou seja tudo que é imoral deve ser colocado para fora da mesa do Senhor, sendo assim, ela não tem lugar para os que praticam tais coisas, e se alguém vem de fora e tem tal prática não deve ser aceito, se alguém no meio dos amados cair em um desses males, deve ser colocado para fora, até que se arrependa e volte ao seu lugar, depois de demonstrar arrependimento.

Esse assunto é muito efetivo e não tem outro caminho, devemos estar atentos as doutrinas de Deus e não deixarmos de lado a verdade, pois como a Palavra diz: "um pouco de fermento, leveda toda a massa."

Agora, quanto ao tempo que esse amado deve ficar fora, não devemos especificar e sim aguardar o arrependimento e assim que o mesmo de fato ocorrer e for perceptivo a todos, deve ser admitido novamente imediatamente, para não ocorrer de se alongar muito e causar desânimo.

Como já falamos um pouco tanto do mal moral como mal doutrinário e vemos que para os apóstolos os dois eram fermento e deviam ser colocados para fora, não temos outro caminho nas escrituras quanto a esses assuntos.

Agora vamos até o ponto das associações religiosas, e este ponto é onde a maioria dos cristãos ainda que verdadeiros e compromissados tem demonstrado menos conhecimento e participado de uma mesa ecumênica, muitas vezes sem perceber e até por falta de conhecimento e outras vezes por falta de coragem de seguir ao Senhor Jesus e se separar de tudo que não honra Seu nome.

Vejamos o texto de I Coríntios 10:17, o pão aqui nos faz referência tanto ao corpo de nosso Senhor Jesus, como a Igreja, associando você e eu a mesa do Senhor e ao único corpo, e se lembrarmos imediatamente de Hebreus 13:13, veremos que fomos chamados a Ele para fora, ou seja, saiamos de tudo aquilo que não leva o seu nome, de tudo que esteja ligado a outro nome, pois a referência de Sua presença é "onde dois ou três, estão reunidos ao Seu nome", Mateus 18:20, então meu amado se você se reune em outro nome, seja a denominação que for, você esta praticando o sectarismo, se a doutrina que você pratica não é a dos apóstolos você não esta seguindo após o Senhor como diz Hebreus 13:13.

Para resumir, qualquer outro fundamento que não seja a "unidade do corpo de Cristo", seja em uma denominação, ou em um grupo livre ou independente, de fato não temos a mesa do Senhor, pois para isso devemos expressar o companherismo com Ele e com os membros do Seu Corpo que é a igreja, e aí Sua autoridade e Seus direitos devem ser reconhecidos e a santidade de Seu nome mantida.

Para finalizar essa relação, lembremos que o apóstolo diz: " comer do altar é ser participante do altar", I Cor 10: 18 a 21, sendo assim, quem estiver participando da comunhão expressa ali na Ceia com base na Mesa do Senhor estará associado a essa mesa, e se você ou eu estivermos participando de outra mesa que tem a ceia, estaremos associados aquela mesa, e sendo assim, devemos buscar o lugar onde devemos expressar a nossa comunhão com "os que de coração puro invocam o Senhor" e os aspectos que temos visto anteriormente são levados em conta e praticados.

Com certeza temos que ajudar aos que ainda não conhecem o ensino correto e procurar orientar para que consigam ver a gravidade do assunto e tomar a decisão de deixar qualquer mesa que não  proclame a "unidade do Corpo de Cristo".

Agora talvez você esteja perguntando onde esta então a mesa do Senhor? Pois são tantas denominações e tantas mesas!

Quero lhe responder com muita franqueza e simplicidade:

"Ali, onde eles, sejam eles dois, três, cinco, quarenta, não importa o número, estão reunidos sem ter qualquer outro centro de reunião a não ser o Senhor Jesus, ali onde não se vincula outro nome a não ser o nome Santo do Senhor, ali onde não há nenhuma injustiça, ali onde a disciplina convém e é mantida, ali onde não se pratica a independência e todos se submentem uns aos outros, sem partidárismo ou controvérsia e ao mesmo tempo todos são admitidos como parte do corpo de Cristo, mantendo assim a unidade do Espírito no vínculo da paz, e todos andam em alegria e comunhão e corretos na doutrina e no andar de suas vidas."

Sendo assim atentemos ao Senhor e procuremos viver em confomridade com sua Palavra,e proclamemos em atitudes e palavras que somos um só corpo  com todos os santos, estejam eles conosco ou não, em qualquer lugar do mundo.

Para encerrar quero apenas colocar sobre você  e sobre mim a responsabilidade individual encontrada I Cor 11 : 27 a 29, para que não façamos nada fora da vontade do Senhor, e busquemos o lugar onde de fato sua mesa esta sendo praticada.

Ficamos por aqui, sempre pronto a responder qualquer pergunta relacionada ao assunto.

Julio Ometto

 

 

 

"...que te importa? Quanto a ti, segue-me" - João 21:22

O Senhor Jesus tinha acabado de dizer a Pedro que ele viveria até se tornar um idoso e então morreria a morte de um mártir. Pedro imediatamente olhou para João e perguntou em voz alta se João receberia um tratamento melhor. A resposta do Senho foi: "...que te importa? Quanto a ti, segue-me".

Lembrando da atitude de Pedro, Dag Hammarskjold escreveu: "Apesar de tudo, sua amargura, porque os outros estão desfrutando do que lhe foi negado, está sempre pronta para explodir. Na melhor das hipóteses, ela fica dormindo por uns poucos dias ensolarados. Ainda assim, mesmo neste nível indescritivelmente miserável, ela ainda é uma expressão da verdadeira amargura da morte - o fato de que aos outros é permitido continuarem vivendo".

Se levássemos a sério as palavras do Senhor, elas resolveriam muitos problemas entre o povo cristão.

É tão fácil ficarmos ressentidos quando vemos outros prosperarem mais que nós. O Senhor permite que eles tenham uma casa nova, um carro novo, um chalé perto do lago.

Outros, a quem talvez consideremos como menos devotos que nós, têm boa saúde enquanto lutamos contra duas ou três doenças crônicas.

A família ao lado tem filhos lindos que se sobressaem em esportes e no meio acadêmico. Nossos filhos são normais, do tipo mais comum.

Vemos outros crentes fazendo coisas que não temos a liberdade de fazer. Mesmo que essas coisas não sejam pecados, ficamos ressentidos com sua liberdade.

É triste dizer, mas há certa inveja profissional entre obreiros cristãos. Um dos pregadores fica ofendido porque o outro é mais popular, tem mais amigos, fica na luz do holofote. Ou outro fica irritado porque seus colegas usam métodos que ele não aprova.

As palavras do Senhor atingem todas estas atitudes indignas com força surpreendente:"...que te importa? Quanto a ti, segue-me". Como o Senhor lida com outros cristãos realmente não é da nossa conta. Nossa responsabilidade é segui-Lo em qualquer que seja o caminho que Ele escolheu para nós.

Estraído do Devocional Luz Para o Caminho - William MacDonald